Ocorreu um erro neste gadget

Advertência!

O conteúdo deste blog pode, literalmente, projetar você para algum lugar no tempo-espaço...

Translate

03 janeiro 2008

Mais um ano, mais humano

Posted on 1/03/2008 10:34:00 AM by Théo, desarmado por um sorriso..


Mais um ano, e eu, humano que fui e mais humano que antes, deixei na curva sumir ao longe o laço do abraço não dado, como que pelo retrovisor observei atentamente perder-se no caminho a saudade não interrompida, um desejo não saciado, os olhares e sorrisos nunca trocados, vi pés distanciarem-se sem nunca terem se aproximado. A dor, só esta foi companheira na partida, foi amiga na saída de uma vida não sentida, do amor nunca feito, assim, sem chances ou oportunidades, desperdiçadas ou não. Espero que o tempo passe, e em verdade eu o vejo voar mais rápido do que a luz, mas não há bem algum nisto, a impulsiva ampulheta do tempo só roubou-me o brilho nos cabelos e a alegria dos olhos, esse tempo que é impaciente, não faz idéia do que é uma vida inteira em distância de sonhos em comum. Se eu fosse esperar você, seria mais feliz, esperaria um pouco mais... E um pouco mais, e seria por longo tempo, e eu seria grato por entender que o tempo passaria, ainda que agora com velocidade reduzida, já que este, (o tempo), possui velocidades diferentes para cada situação que o coração viva. Eu não possuo grandiosidades, mas isso não é o principal para a alegria dos que se doam. Meu presente minhas palavras são, meu abraço é, eu espero que o tempo passe, e agora tanto faz a marcha que ele use, não há pressa alguma em viver infeliz. Isso é o que todos esperam da vida, a cadência de lindos sorrisos enfeitando doces palavras sussurradas, os cabelos afagados por mãos parindo carinhos, olhares que cintilam como estrelas fingindo uma instante ausência de medo, eu sei, só precisamos de tempo, esse mesmo que corrói a alegria de muitos, mas que tentando redimir-se do mau que quase sempre faz, aprendeu a curar feridas, suavizar despedias e acalmar a angústia dos que se perdem de amor.
Mais um ano, e eu, humano que fui e mais humano que antes, vi pés distanciarem-se sem nunca terem se aproximado...

No Response to "Mais um ano, mais humano"

Leave A Reply

Comente como queira...