Ocorreu um erro neste gadget

Advertência!

O conteúdo deste blog pode, literalmente, projetar você para algum lugar no tempo-espaço...

Translate

11 novembro 2005

Surreal

Posted on 11/11/2005 12:13:00 AM by Pedro Neiva



Um raio de luz me trouxe aqui, 2 segundos antes de mim mesmo e quando nos encontramos, eu e meu corpo, tive esta visão:
Vi uma torre imensa, feita de soluços e hesitação, pendia para os dois lados ao mesmo tempo, havia uma parte de esperança e comunhão que estava fixa como rocha, untada com uma liga de amizade que não se vende mais em potes como antigamente... Uma legião de anjos e pessoas normais conduzia um arado faraônico abrindo uma rastro na terra pra poderem sujar os pés com natureza de verdade, neste momento começam a rolar gotas das lágrimas de um dragão sentimental, todos o chamam pelo nome mas ele se sente rejeitado em sua caverna escura, trazem lhe uma vela branca de 7 dias mas ele explica que sua semana dura 1 século... Trazem-lhe um feixe de néon e ele explica que não enxerga o lilás, agora trazem-lhe todas as cores e o dragão sorrindo aquece seus corações... Todos em volta da vila pisam a terra, pés de pisar em Marte, sorrisos de elfos mortais, as gotas agora caem pra cima, molham o meu queixo. Enquanto isso desce da montanha de grama um velho tuareg com asas de Ícaro e um manual com letras escritas em punho de "Como levantar do chão estrelas cadentes". Eu continuo na minha escrivaninha imaginária com cadeira de gesso frágil escrevendo e escrevendo, a água retorna às nuvens e as nuvens retornam ao sopro mágico de algum Deus, que ficou compadecido com o pedido de um velho índio, que ficou comovido com a dor de um sertanejo que não tem avião de fazer chover, nem erva de fazer sorrir. Visto de cima o lago abaixo de meus pés parece um espelho, surgem bolhas, agora as bolhas descem para o fundo, alquimistas regam experimentos com estas águas e em tudo vemos água, líquido da vida... Em destilações fracionadas separam amor de ciúmes, ódio de paixão , felicidade de tristezas, dor de prazer e nada mais será confuso, a dúvida é só mera ilusão. Papiros nas mãos caminho eu até o raio que me esperava com a velocidade da própria luz, impaciente, discutia levemente com um sujeito chamado Escuridão que tentava sentar no seu lugar. Acordei com os pés no travesseiro e com a cabeça num mundo chamado de lua.

No Response to "Surreal"

Leave A Reply

Comente como queira...