Ocorreu um erro neste gadget

Advertência!

O conteúdo deste blog pode, literalmente, projetar você para algum lugar no tempo-espaço...

Translate

04 novembro 2015

Travesseiro alto

Posted on 11/04/2015 03:47:00 AM by Pedro Neiva







Mais uma vez eu acordo no meio da noite, calor e travesseiro alto. Estranho a cama e a vontade é a de cair num mar de esquecimento... Meu amor dorme tão dócil e terna ao meu lado, que não há como não invejar o seu sono... Mesmo com todo o amor do mundo uma parte de mim entristece hoje. Eu que sempre dormira demais, hoje me encontro com a insônia quase que regularmente, eu, justo eu que nunca me acertou a vontade da pontualidade - encontro marcado com o nada. Meu velho inimigo voltou dos mortos, ele zune em meu ouvido, micro desmaios em minha cabeça e um medo terrível de um não engajamento. O travesseiro vai se tornando cada vez mais alto e a cabeça mais pesada, meu corpo agora se assemelha a de um marciano de Orson Welles - O corpo pequeno, a cabeça enorme em grau de atividade - estou sem campo de força que me defenda além de um mosquiteiro furado. Flutuando em meus próprios erros, o teto agora me parece uma prensa hidráulica.

É quando a insônia põe o dedo na minha cara, diz que sou moleque e me chama pra lutar, que eu compreendo os olhos arroxeados de quem não dorme. 

2 Response to "Travesseiro alto "

.
gravatar
Théo, desarmado por um sorriso.. Says....

Eu tenho uma arma, duas latinhas de Antarctica e um SBP à base de citronela...

Leave A Reply

Comente como queira...