Ocorreu um erro neste gadget

Advertência!

O conteúdo deste blog pode, literalmente, projetar você para algum lugar no tempo-espaço...

Translate

14 julho 2005

Mosca Noturna

Posted on 7/14/2005 08:20:00 PM by Pedro Neiva


Posted by Hello

Uma mosca noturna pousa em meu braço
Livre do abraço de alguém
Pousa em minha alma
Repousa em cansaço
Repousa com calma
Espanto-lhe o bem

Vagando a noite entre o espaço
Voando com ânimo escasso
Deseja o contato porém
Não é bela nem voa em compasso
Não a permitem sentir o melaço
É rejeitada e morta também

A boca do copo é o que resta
Da porta o que sobra é uma aresta
A beirada da mesa, a beira do abismo
Se tivesse boca emboçaria um sorriso
Se um doce a convidasse pra festa

Império de gigantes e feras
Veneno em pequenas esferas
A mão de ferro, a espreita
As jacas transmitem suspeita

Plantas carnívoras, aranhas
Sapos, lagartos, louva-a-deus
Adeus mundo cruel, adeus às sopas
Camaleões, não comem leões
Comem moscas
Nossas conhecidas toscas
Que gostam de mel

Mas o amor não as sufoca
Sangue, suor e lágrimas
Não são fluidos de mosca
Não se preocupam com rimas

Elas nos acham lentos
Mesmo com tantos talentos
Tantos sentimentos
Moscas não choram por dentro...

No Response to "Mosca Noturna"

Leave A Reply

Comente como queira...